terça-feira, 22 de setembro de 2009

Ferdinand de Saussure e suas contribuições para o surgimento do ESTRUTURALISMO

A princípio da minha análise, gostaria de dizer que as concepções de Ferdinand de Saussure foram importantes para o desenvolvimento da Linguística como ciência. Assim, é considerado por muitos estudiosos o fundador da Linguística Moderna. Como obra fundadora desses estudos temos o Curso de Linguística Geral (CLG), tido como "farol" das ciências humanas, ou seja, considerada uma ciência piloto.

Assim, começamos nossa análise considerando uma filosofia da linguística, no qual, insere-se pensamentos contrários em relação ao CLG. Assim, temos uma análise voltada para três Saussures:

- Anagramas: (Encontramos o estudo dos anagramas no livro: As palavras sob as palavras, Jean Starobinski)

Nos estudos que envolvem os anagramas, temos a presença do SUJEITO e da HISTÓRIA. Sobre esses pensamentos observamos a presença de dois sistemas que funcionam concomitantemente, ou seja, funcionam tanto na sua materialidade linguística quanto na sua materialidade histórica, expressando determinada intencionalidade do sujeito.
De um Anagrama tem-se o processo que dá origem ao Hipograma (palavra tema)

Exemplo: AD MEA TEMPLA PORTÃTO ( Ordem Linguística)---------> Anagrama

APOLO (Ordem Histórica) --------> Hipograma

Observação: Os anagramas fazem parte do pensamento GALILEICO, ou seja, os temas são desenvolvidos a partir de uma teoria juntamente com sua experimentação. Seria uma proposta de uma ciência moderna.

-CLG (Curso de Linguística Geral): "PENSAMENTO PRONTO E ACABADO"

A priori, tem-se a questão da autoria do CLG. A princípio é posto como autor Ferdinand de Saussure; Charles Bally e Albert Sechehaye como editores, porém isso não é verdade. Como fundadores do Curso foram Bally e Sechehaye. De acordo com estudiosos (como por exemplo Meillet), Saussure nunca teria deixado o CLG ser publicado, pois não eram verdadeiramente os seus pensamentos. Segundo seus conceitos, Ferdinand de Saussure, pretenderia criar uma Semântica ou Semiologia de Valores.
O Curso de Linguística Geral representa um recorte no pensamento Saussuriano. Nessa concepção, notamos a total exclusão dos componentes históricos e ao mesmo tempo o sujeito não é levado em consideração. O CLG foi produzido através do pensamento ARISTOTÉLICO, ou seja, tem um argumento de autoridade, no qual, existe uma estrutura e é a partir dela seguem uma certa hierarquia. Assim, nessa forma de pensamento, destaca-se uma análise só com base na sua teoria.

- Manuscritos: ( estudos desenvolvidos no Escritos de Linguística Geral)
O ELG, também, está inserido no pensamento GALILEICO, visando uma análise com base na sua teoria e experimentação.


Entretanto, há um ponto que essas três concepções se coincidem:
Tanto os anagramas, o CLG e os manuscritos não trabalham com a ideia da exterioridade, ou seja, os signos são estudados nas relações entre os termos linguísticos propriamente ditos.

De acordo com alguns estudos, Saussure deixa de analisar três elementos fundamentais. São eles: O Sujeito, a História e o Referente. Esses estudos marcados pela exclusão é desenvolvido dentro de um modelo de ciência vigente, pautada nas teorias positivistas. Assim, podemos dizer que foi essa teoria positivista que definiu a exclusão de Saussure sobre os elementos mencionados. Entretanto, segundo Simon Bouquet, esse recorte é feito apenas pelo CLG, ou seja, quem realmente pensa nisso são os quem criaram o CLG: Bally e Sechehaye e não Saussure, pois ele não exclui o SUJEITO e a HISTÓRIA.
Com isso, Saussure do CLG e Saussure do ELG propõem a concepção de Signo linguístico dentro de um conceito diádico, no qual, consideram o sentido na sua relação interna entre significante e significado e não externamente. Enquanto que no CLG há a consideração de uma arbitrariedade para o significante e uma arbitrariedade para o significado; para o ELG há apenas uma arbitrariedade para o todo do signo, ou seja, o significante e o significado.
No século V a.C, a concepção de signo era vista como triádica, ou seja, a composição do signo era a forma de um triângulo, levando em consideração o significante, o significado e o referente.

Dentro das suas definições, Ferdinand de Saussure considerou como formas de estudo dos signos em geral a semiologia, no qual, abarcava todas as formas de linguagens e dentro dessa semiologia dos signos destacava-se a Linguística preocupada com o estudo da linguagem verbal.
Assim, o Saussure do CLG propôs o conceito de dicotomias. Dicotomias, estas, que designam a divisão lógica de um conceito em dois, de modo que se obtenha um par opositivo, destacando-se a LANGUE da PAROLE.
Como dicotomia principal, temos :

Langue/Parole

Para Saussure do CLG a língua é um sistema de valores, no qual, caracteriza todas as relações dos sujeitos.
Na Langue, destaca-se uma coletividade relacionada com a sistematização de regras da língua. Trata-se de um estudo voltado para avaliar os componentes gramáticais.
Como Parole, destaca-se o individual, ou seja, a maneira da produção dos enunciados é de forma particular de cada sujeito empregando a língua de acordo com sua necessidade.
Para os estruturalistas, dedicou-se mais um estudo voltado para a Langue, deixando de considerar a Parole.
É na Langue que encontramos a sincronia e diacronia, no qual, desenvolveu-se um estudo diacrônico; durante a fase anterior do estruturalismo e durante os estudos Saussurianos do curso de linguística geral considerou-se a sincronia como forma de análise.
Todavia, segundo estudos de Bouquet, Saussure dos ELG consideraram um estudo da língua e da fala de maneira mais próxima, caracterizando como uma dupla essência da linguagem, capaz de simbolizar a construção de uma realidade e não de traduzir a mesma. Como simbolizar, destaca-se a capacidade de nós interpretarmos signos que não existem.

OBSERVAÇÃO: Apesar de haver várias concepções dos pensamentos de Ferdinand de Saussure, é importante considerar um estudo da língua num aspecto de totalidade e saber que existem diferentes formas de análise de Saussure: Saussure dos ANAGRAMAS, Saussure do CLG e Saussure dos ELG.


Referências:
-Anotações minhas feitas em sala de aula
Disciplina: Epistemologia da Linguística;

-Mini-Curso Filosofia da Linguística: de um pseudo Saussure no CLG ao Saussure dos ELG.
( 8ª Jornada Científica e Tecnológica da UFSCar 2009).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário