sábado, 5 de setembro de 2009

Epistemologia da Linguística

Dentro dos estudos linguísticos desenvolveu-se grandes movimentos preocupados em analisar as questões da língua. São eles: Estruturalismo, Gerativismo, Funcionalimo e Materialismo Histórico.
Assim, com o desenvolvimento da epistemologia linguística procurou-se explicar as diferentes teorias do conhecimento através de estudos epitemológicos.
Segundo Thomas Khun, esses movimentos constituem grandes Paradigmas que representam diferentes concepções epistemológicas. De acordo com sua teoria, cada movimento é um paradigma que engloba todas as suas análises específicas em torno da linguagem. Com isso, dizia que cada paradigma era posto em um momento epistemológico único não sendo influênciado por outros movimentos, ou seja, cada "campo do saber" assume seu papel epistemológico sobre as teorias linguísticas. Após o paradigma do estruturalismo vinha o paradigma do gerativismo, paradigma do Materialismo Histórico e finalmente o paradigma do Funcionalismo ( formas de se pensar a linguagem quanto escolas, vertentes de estudo), não havendo relação entre as concepções. Os Estudos eram feitos somente dentro de seus paradigmas e toda vez que mudava-se o mesmo fazia um corte epistemológico representando uma nova forma de tratar as questões da língua.
Já Lactus, em contraposição de Thomas Khun, dizia que esses paradigmas eram influênciados uns pelos outros. Segundo Lactus, os paradigmas estão em convivência. As teorias que não davam conta de explicar todas as questões da línguas eram levadas em consideração pelos outros movimentos, buscando aprofundar-se mais sobre determinados conceitos.


Referência:
Anotações minhas feitas em Sala de Aula.
Disciplina: Epistemologia da Linguística

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário